segunda-feira, 13 de julho de 2009

Três fantasmas

Três eus em minha vida que nunca foi minha,
Que nunca foram eu.
Três retratos na parede do antigo quarto que não querem dizer nada...
Lembro do primeiro, mão na coxa, sorriso para foto, um flash e um adeus.
Lá estou eu imortalizado na estante que não quer mais me dizer nada.
Lembro do segundo, ao lado de alguém que não existe mais, que não guarda mais essência neste mundo à parte eu.
Morremos juntos, aqueles da foto que mais não existem.
Finalmente o terceiro, não foi há tanto tempo, mas me parece nunca ter existido.
Olho para os três, penso em mim e em minha vida, lembro dos três como a três estranhos que nunca quiseram dizer nada, nunca existiram,
Todos lembranças de um sonho tranqüilo...
São todos eu!
Três fantasmas que deram em mim.
Olho para eles como a um espelho que nada reflete;
Olho para eles e vejo este quem os sucedeu como um estranho;
Olho para eles tentando entender...

Como vim parar aqui?

JMottër, Maceió, Domingo, 12 de Julho de 2009

Um comentário:

Bio disse...

Também olho pra este mesmo retrato...bom,que penso ser...e não me contenho!
Betunia...
.......

........

......

Maria e João